Ideal Ambiental

Resíduos Sólidos

« Voltar
* Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos:

As legislações nacional, estaduais e municipais, exigem que os empreendimentos apresentem seu Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos como forma de manter um controle sobre a geração, transporte e disposição final dos resíduos.

Os planos variam de acordo com as características do empreendimento, podendo ser:
  • PGRS – Plano de Gerenciamento de Resíduos: atividades gerais, como restaurantes, indústrias de pequeno porte, lojas, supermercados, etc.
  • PGRCC – Plano de Gerenciamento de Resíduos de Construção Civil: obras de construção civil ou demolição.
  • PGRSS – Plano de Gerenciamento de Resíduos de Serviços de Saúde: empreendimentos prestadores de serviços de saúde (hospitais, clínicas, veterinárias, farmácias, laboratórios, etc.);
  • PGRSI – Plano de Gerenciamento de Resíduos Industriais – indústrias de médio e grande porte, com geração de resíduos especiais.

* Gestão Integrada de Resíduos Sólidos:

A proposta da Gestão Integrada de Resíduos Sólidos é manter um controle sobre todas as etapas do manejo de resíduos, visando reduzir a geração e buscar novas tecnologias para re-aproveitamento e tratamento final, reduzindo custos com transporte e destinação final.

A Gestão é feita com acompanhamento técnico, resultando em relatórios com todas as informações sobre geração, re-aproveitamento e destinação final, assim como informações financeiras do manejo de resíduos sólidos por parte do empreendimento.


* Plano Municipal / Intermunicipal / Estadual de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos:

 Em 2010, a lei 12.305 instituiu a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) que estabelece princípios, objetivos, instrumentos e diretrizes para a gestão e gerenciamento dos resíduos sólidos, as responsabilidades dos geradores, do poder público, e dos consumidores, bem como os instrumentos econômicos aplicáveis.

Os Planos Municipais/Intermunicipais/Estaduais de Gestão Integrada de Resíduos visam cumprir os objetivos da Política Nacional de Resíduos Sólidos por meio de um diagnóstico da situação atual dos resíduos sólidos, proposição de cenários, metas de redução, reutilização, reciclagem, entre outras, com vistas a reduzir a quantidade de resíduos e rejeitos encaminhados para disposição final ambientalmente adequada, além de promover a mobilização da população em relação a problemática dos resíduos.


* Tratamento e Disposição Final de Resíduos:

Os Aterros Sanitários são uma forma de disposição de resíduos sólidos no solo, sem causar danos ou riscos à saúde pública e à segurança, minimizando os impactos ambientais.

Previamente à construção do Aterro Sanitário, uma série de fatores deve ser considerada para que ele opere corretamente.  Para o projeto do Aterro, deverão ser analisados o perfil dos resíduos sólidos que são gerados, a escolha de área, os processos de licenciamento, avaliação da vida útil, como será realizada a construção, operação, manutenção e gestão, destacando ainda, os desafios atuais referentes à eficiência e sustentabilidade dos sistemas.

Outras tecnologias para tratamento e disposição final de resíduos sólidos estão sendo utilizadas no país, como a compostagem, biodigestão, tratamento térmico, entre outros.