Ideal Ambiental

(02/02/2017) Gestão inadequada de resíduos pode causar problemas graves à sua empresa. Saiba mais:

« Voltar

         

                                                                Fonte:Extra Globo,2017

Recentemente, dois casos semelhantes chamaram a atenção nos noticiários, por algo que muitas vezes passa desapercebido ou ao qual não é dada a devida atenção.

A Cervejaria Imperial, com sede em Petrópolis, passa atualmente por obras, e a empresa contratada para transporte e destinação final dos resíduos gerados na construção foi flagrada despejando o material em áreas abertas em meio à florestas, e até mesmo sobre um rio com a finalidade de soterrá-lo.

Conforme previsto na Lei de Crimes Ambientais (Lei Federal mº 9.605 de 12 de fevereiro de 1998) os funcionários da empresa que faziam a destinação inadequada, o dono da Cervejaria Imperial, o Engenheiro responsável pela obra e o proprietário do terreno devastado, foram presos (soltos após pagar fiança).

Em outro caso semelhante, ocorrido em 19/01 em São Vicente (litoral de SP), um motorista foi preso por transportar resíduos de construção civil em seu caminhão, em área de preservação ambiental, sem portar registro junto aos órgãos ambientais, Manifesto de Transporte de Resíduos (MTR), e sem proteção do material com lona.

Nas duas situações, é possível notar que há cuidados que não devem ser desprezados pelo gestor, empresário ou engenheiro responsável por uma obra.

A má gestão dos resíduos sólidos, além de trazer diversões problemas, como a contaminação do solo, águas superficiais e subterrâneas, ar, proliferação de vetores e doenças, pode ensejar a aplicação de medidas extremas para coibir irregularidades, como a aplicação de multas e até mesmo prisão dos responsáveis – situações estas que podem ser evitadas tomando-se alguns cuidados, com auxílio de uma assessoria especializada.

Atualmente, o país conta com legislações específicas que tratam sobre a gestão adequada dos variados tipos de resíduos sólidos (de construção civil, de serviços de saúde, de mineração, etc.). No entanto, a principal exigência resume-se a apresentação de um Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos – PGRS, no início das atividades.

O Plano, por si só, não garante o cumprimento da legislação ambiental no decorrer da realização das atividades. Para garantir que estas normas sejam cumpridas, o ideal é contar com um acompanhamento periódico feito por especialistas da área (como Engenheiros Ambientais, por exemplo), buscando soluções que podem inclusive trazer redução de custos para as empresas.

Entre em contato com a Ideal Ambiental e conheça as soluções para Gestão de Resíduos Sólidos.

Luiz Guilherme Grein Vieira é Engenheiro Ambiental, especialista em Gestão de Resíduos Sólidos, sócio-diretor da empresa Ideal Ambiental e vice-presidente da Associação Paranaense dos Engenheiros Ambientais – APEAM.

 

 



Fonte: Extra Globo e Diário do Litoral