ESG: Saiba Por Onde Começar

ESG: Saiba Por Onde Começar

Com passos sólidos e constantes, essa sigla, que se tornou um grande diferencial competitivo, pode ajudar o seu negócio a atingir resultados cada vez mais significativos

No ano de 2005, cerca de 20 instituições financeiras espalhadas por 9 países diferentes, incluindo o Brasil, se juntaram com um único objetivo em comum: desenvolver diretrizes e recomendações que incluíssem as questões “ambientais, sociais e de governança” (em inglês: “Environmental, Social and Governance”) no mundo dos investimentos (gestão de ativos, serviços de corretagem de títulos e pesquisas relacionadas ao tema em questão).

A iniciativa, liderada pela ONU (Organização das Nações Unidas), acabou resultando em um relatório nomeado de “Who Cares Wins” (“Ganha quem se importa”). Através do qual foi possível concluir que, uma vez que esses fatores eram inseridos no mercado financeiro, não só os mercados se tornavam mais sustentáveis, como também observava-se melhores resultados para a sociedade.

Através desse relatório o termo ESG surgiu pela primeira vez. Desde então, começou a ganhar relevância tanto no mercado financeiro, uma vez que é visto como critério fundamental para a escolha de investimentos, quanto para as empresas que começaram a se adequar às boas práticas, proporcionando a valorização de seus negócios e se destacando em meio à concorrência.

Mas o Que Essa Sigla Realmente Representa?

O conceito por detrás do ESG está diretamente ligado à medição das práticas ambientais, sociais e de governança de determinada empresa. Ou, em outras palavras, todo esforço que é feito para minimizar os possíveis impactos ao meio ambiente, construindo assim um mundo mais justo e sustentável, tudo associado a uma boa administração. Portanto, cada letra dessa sigla contém um significado usado como parâmetro para analisar a postura das empresas:

E (Environmental – “Ambiental”)

Diz respeito ao compromisso com a conservação ambiental. Bem como a preservação dos recursos naturais, verificando a atuação das empresas em assuntos referentes à emissão de gases de efeito estufa, aquecimento global, desmatamento, escassez de água, biodiversidade, poluição, gestão de resíduos, eficiência energética, entre outros.

S (Social)

Aqui, tudo que envolve as ações de determinada empresa com as pessoas que estão à sua volta (colaboradores, comunidade, fornecedores e clientes), é levado em conta. Nesse caso, são abordadas questões como diversidade de equipe, engajamento dos funcionários, privacidade, proteção de dados, direitos trabalhistas, direitos humanos, direitos do consumidor, satisfação dos clientes, relacionamento com a comunidade, etc.

G (Governance – “Governança”)

Abrange as questões relativas à administração das empresas, no qual destacam-se critérios como a conduta corporativa, composição do conselho, remuneração, relação com órgãos governamentais, compliance, transparência na prestação de contas, política fiscal, combate à corrupção e assim por diante. Em resumo, digamos que tudo aquilo que envolve a legislação (ou seja, parte burocrática) do negócio passa por uma série de análises.

É exatamente por todos esses motivos que a sigla passou a representar a união entre investimentos e práticas de sustentabilidade. Afinal, empresas que adotam uma gestão mais consciente, consequentemente têm um lucro maior em relação às outras. O que faz com que seu valor de mercado melhore ao longo do tempo. E, caso você tenha certo conhecimento sobre a bolsa de valores, sabe que isso é um ponto chave para atrair a atenção de potenciais investidores que, cada vez mais, vem buscando por empresas que se preocupam com as questões sociais e ambientais.

Por isso, muito mais do que um enorme diferencial, digamos que a aplicação desse conceito se tornou obrigatoriedade no universo dos empreendimentos. Mas, ao contrário do que muitos pensam, essa mudança não acontece simplesmente do dia para a noite, já que a cultura de toda a empresa precisa ser reajustada. Dessa forma, o importante é dar o primeiro passo rumo à mudança e as dicas que preparamos a seguir podem te auxiliar nesse processo.

Como Começar a Aplicar o Conceito ESG no Seu Negócio?

Diagnóstico

Se sua empresa está disposta a implantar o conceito ESG, é necessário inicialmente realizar um diagnóstico para avaliar todos os aspectos ambientais, sociais e de governança. Uma equipe multidisciplinar deve ser realizar um diagnóstico, que irá apontar oportunidades e pontos de melhoria para a organização iniciar seu planejamento, definição de metas, e posteriormente planos de ação para seu atingimento.

Preze pela Sustentabilidade

Esse será o elemento fundamental durante todas as etapas de gestão. Por isso, é extremamente importante que você comece a pensar em soluções com o intuito de reduzir os impactos ambientais da sua empresa.

Caso precise de ajuda para a realização de um estudo aprofundado sobre as melhorias que podem ser feitas, você pode contar com a ajuda de uma consultoria ambiental (no caso da sigla E). E, a partir disso, definir um planejamento estratégico, bem como ações que podem ser adotadas no seu ambiente de trabalho: reciclagem, uso de fontes de energias renováveis, política de gestão de resíduos, redução de CO², campanhas de conscientização, dentre outras.

Interaja com a Comunidade ao Seu Redor

Esteja em sintonia com todas as pessoas envolvidas no seu empreendimento e mostre seu apoio pela diversidade e inclusão social. Avalie a equidade de gênero nos cargos disponíveis, assim como o parâmetro salarial entre homens e mulheres que ocupam a mesma função. Lembrando que as condições de trabalho devem estar sempre de acordo com os direitos humanos.

Além disso, crie iniciativas voltadas para a área social, como a realização de projetos que interajam com a comunidade local, programas de inclusão ou patrocínio em eventos educativos e culturais. Todo esse contato permite uma boa avaliação pelas métricas ESG.

Aposte em Uma Gestão Corporativa Transparente

Isso é algo que você nunca deve esquecer: aqueles que investem no seu negócio querem acompanhar de perto todas as informações que dizem respeito a ele. Dessa forma, é preciso divulgar em detalhes tudo que for feito dentro da sua organização.

Criação de um código de ética, fiscalização, canal de denúncias, auditorias, conselhos de administração, políticas de anticorrupção. Tudo isso são aspectos relacionados a um modelo de gestão transparente que atende aos propósitos do ESG.

Agora que você já conhece um pouco mais sobre as práticas ESG, que tal começar a adotar esses princípios dentro do seu próprio negócio? Fazendo isso você não apenas contribuirá com o bem da sociedade, como também agregará mais valor de mercado ao seu empreendimento.

Entre em contato conosco e saiba mais!

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.