Relatório de Sustentabilidade: Saiba a Importância Desse Instrumento de Comunicação e Gestão

Relatório de Sustentabilidade: Saiba a Importância Desse Instrumento de Comunicação e Gestão

Considerado um diferencial de mercado, esse documento é capaz de agregar valor à sua marca, mantendo uma relação transparente com todas as partes interessadas.

Quando o assunto é desenvolvimento sustentável, a “sustentabilidade empresarial” ganha destaque importante nessa discussão. Afinal de contas, são muitas as dúvidas que acabam surgindo pelo caminho: “o que de fato pode ser considerada uma prática empresarial sustentável?”, “como é feita a sua implementação?”, “de que forma os resultados são mensurados e analisados?”

Foi justamente por meio dessas questões que diversas ferramentas começaram a ganhar forma. O intuito é auxiliar as empresas a avaliarem seus processos, bem como adotar práticas mais responsáveis, prezando por uma gestão sólida e transparente que informa à sociedade, investidores e parceiros, tudo aquilo que está diretamente ligado às suas estratégias e decisões.

Um recurso extremamente utilizado para essa comunicação são os chamados “relatórios de sustentabilidade”. A partir dos quais, a organização divulga uma análise detalhada sobre sua atuação e desempenho no âmbito social, ambiental e econômico, além ainda das práticas sustentáveis. A metodologia GRI (Global Reporting Initiative), por exemplo, define o modelo de relatório mais utilizado atualmente. E é sobre ele que você vai conhecer um pouco mais neste artigo.

O Que é GRI?

Toda organização apresenta uma contribuição para o desenvolvimento sustentável, seja ela positiva ou negativa. E para a GRI, organização internacional e sem fins lucrativos, que auxilia empresas e instituições governamentais a compreender e comunicar suas ações voltadas a melhorias do desempenho econômico, ambiental e social, essas informações precisam ser coletadas, relatadas e analisadas de tempos em tempos.

A partir disso, todas as oportunidades e riscos observados são detalhadas com ações focadas na melhoria de desempenho e alcance de uma gestão cada vez mais sustentável, aspecto este que, consequentemente, proporcionará uma economia mais estável e um mundo mais seguro para todos.

O certo é que, além de auxiliar na imagem positiva das empresas, atribuindo a elas mais confiança e credibilidade no mercado, a divulgação frequente do relatório GRI também é uma maneira de aprimorar a relação com a sociedade em geral, podendo ser feito por todos os tipos e portes de empresas.

E mais: as normas desse documento estão dispostas em módulos inter-relacionados, permitindo que a própria organização escolha os tópicos que deseja relatar, baseado numa matriz de materialidade, que reúne contribuições dos stakeholders. Portanto, além de abordar indicadores padrões padrão que contemplam as diretrizes da GRI, cada instituição define indicadores específicos, de acordo com as atividades desenvolvidas e aspectos relevantes para os colaboradores, fornecedores, clientes, população do entorno e demais partes interessadas. Contudo, vale destacar que antes de colocar a mão na massa e começar a organizar o relatório de sustentabilidade, alguns pontos merecem atenção.

O primeiro deles diz respeito à forma como tal documento será elaborado. Para isso, existem duas opções:

Relatório Essencial

Aqui, o foco será voltado para o entendimento da natureza da organização (tópicos materiais – temas relevantes definidos pela empresa – e impactos causados por eles), demonstrando a forma como serão geridos. Sendo assim, essas informações são consideradas “mínimas”.

Relatório Abrangente

Nesse caso, o relatório de sustentabilidade deve contemplar todas as informações descritas na forma Essencial, somando ainda informações que estejam diretamente ligadas a estratégias, ética, integridade e governança. Trata-se então de um conteúdo mais específico e aprofundado.

Além disso, as normas GRI inter-relacionadas, também podem ser divididas em quatro séries:

  • Padrões Universais (série 100): Indicadores gerais e de gestão da organização.
  • Padrões Econômicos (série 200): Indicadores relacionados ao desempenho econômico da organização.
  • Padrões Ambientais (série 300): Indicadores relacionados ao desempenho ambiental da organização.
  • Padrões Sociais (série 400): Indicadores relacionados ao desempenho social da organização.

Cada uma delas contém um campo de requisitos no qual as informações devem ser descritas para que assim seja possível cumprir com o tópico em questão.

Quais São as Vantagens de Elaborar um Relatório de Sustentabilidade com Base na GRI?

Metodologia Reconhecida Globalmente

A iniciativa GRI surgiu no ano de 1997 e, desde então, passou a ser utilizada por empresas do mundo inteiro. O Brasil, por exemplo, já foi considerado o terceiro país com mais relatórios de sustentabilidade emitidos seguindo esse padrão. Sendo assim, esse é um dos pontos principais em optar por essa metodologia. Além de gerir corretamente indicadores ambientais, sociais e econômicos dentro das corporações, pode-se dizer que, em resumo, ela também serve como uma espécie de garantia, uma vez que já é reconhecida e valorizada por muitas pessoas.

Facilidade na Comparação de Resultados

Se essa é uma ferramenta usada em diversos países e por diferentes tipos/segmentos de empresas, obviamente o conjunto de itens e informações serão os mesmos. Isso significa que, muito mais do que apenas divulgar os resultados de determinado negócio com o intuito de analisar o que deve ou não ser ajustado, o acesso a essas informações permite uma comparação entre empresas do mesmo ramo de atuação, verificando o seu desenvolvimento e traçando estratégias que façam a marca se destacar da concorrência.

Identificação de Impactos e Definição de Estratégias

A GRI foi criada como uma visão de longo prazo. Por esse motivo, todas as informações divulgadas no relatório são importantes para se obter uma visão geral sobre os aspectos que precisam ser melhorados. A partir desse mapeamento, é possível estabelecer metas, aferir o desempenho das empresas e gerir mudanças que tornem suas operações mais sustentáveis.

Engajamento do Público

É bem provável que você já tenha ouvido falar sobre os stakeholders. Ou seja, as partes que estarão interessadas no conteúdo apresentado no relatório de sustentabilidade. Dessa forma, as informações mostradas neste documento serão um ponto chave para mapear e engajar essas pessoas. Isso serve como uma estratégia de marketing, para atrair olhares de possíveis investidores.

E você, tem investido na mensuração e divulgação do desenvolvimento sustentável da sua empresa? Como mencionado, essa é uma ótima oportunidade para mostrar que, além dos interesses financeiros, sua empresa também se preocupa com os aspectos sociais e ambientais, mantendo um compromisso com a economia global sustentável.

Conte com quem tem anos de experiência no mercado para te ajudar a elaborar o relatório de sustentabilidade e contribuir para a evolução do seu negócio. Aqui, na Ideal Ambiental, seguimos todas as diretrizes desenvolvidas pela GRI.

Entre em contato e faça um orçamento!

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.