Gestão Ambiental na Construção Civil

Gestão Ambiental na Construção Civil

Entenda os impactos ambientais causados pelo uso inadequado dos recursos naturais pelo setor da construção civil e saiba como uma gestão responsável é essencial para que essa atividade seja desenvolvida de forma sustentável.

É inegável a importância da indústria da construção civil para a nossa sociedade. Além de contribuir para a economia e geração de empregos, ela está diretamente ligada ao desenvolvimento urbano, uma vez que possibilita a construção de estradas, barragens, escolas, hospitais, entre tantos outros espaços.

Mas, junto a essa evolução, também há um grande impasse: infelizmente, ainda hoje, esse setor é caracterizado como um dos que mais consomem recursos naturais. Aspecto que pode ser observado desde a produção dos insumos até o processo de execução da obra, assim como a operação ao longo de sua vida útil. Sendo assim, tanto os impactos ambientais, quanto sociais e econômicos são consideráveis.

De acordo com o Conselho Internacional da Construção, estima-se que mais de 50% dos resíduos sólidos gerados pelo conjunto das atividades humanas sejam provenientes da construção civil. Segundo o PERS – Plano Estadual de Resíduos Sólidos do Estado do Paraná, estudo elaborado 2018, são gerados anualmente cerca de 5,8 milhões de toneladas de resíduos da construção civil.

Número este que apenas reforça a necessidade de implantação de uma gestão ambiental eficiente para auxiliar na solução dessa questão. Afinal, quando se trata da execução de um empreendimento, são inúmeras as etapas que devem ser levadas em consideração a fim de que as condições sejam aprimoradas e o desenvolvimento urbano se mantenha aliado à preservação do ambiente.

Dessa forma, muito mais do que questões legais e ambientais, é preciso se pensar na logística, segurança e higiene do trabalho. Otimizando assim a ocupação de espaços, evitando desperdícios e prezando pela qualidade do serviço serviço e a resiliência do setor como um todo.

A partir do momento em que todos esses objetivos estão em sintonia, consequentemente diversas melhorias serão observadas no processo produtivo desse setor. Sendo um passo essencial para que as construções se tornem mais sustentáveis.

Portanto, antes de partir de fato para a ação de um projeto, tudo deve ser colocado na ponta do lápis. E quando mencionamos isso, estamos nos referindo à organização de todas as ideias que envolvem tal projeto. Desde a parte teórica, com o levantamento de problemas, soluções e objetivos do trabalho, assim como a parte prática, analisando se tudo tem sido feito de forma correta e verificando pontos que precisam ser ajustados. É por meio de iniciativas como essas que, aos poucos, será possível conscientizar ainda mais empresas, profissionais e a população em geral.

Quais São os Principais Impactos Causados pela Construção Civil?

Alto Consumo de Energia

Atualmente, muitas edificações são planejadas com fontes energéticas que demandam um consumo excessivo de energia elétrica. Para que você tenha uma ideia mais clara do que estamos dizendo, mais de 40% da energia elétrica produzida no nosso país é consumida durante o processo de operação e manutenção dessas construções, já que novas obras e reformas acabam surgindo com frequência. Mas, além dessa utilização em grande escala, a preocupação também passa a ser voltada para o desperdício de energia. Uma vez que, em diversos canteiros de obras, é comum se observar equipamentos ligados mesmo em desuso, por exemplo.

Poluição

Talvez esse detalhe passe despercebido para algumas pessoas, mas a construção civil é responsável por uma grande parcela da poluição causada ao meio ambiente. Além da poluição sonora, com a liberação de ruídos durante a obra (estes que, por sua vez, podem prejudicar não apenas a audição, mas a qualidade de vida de forma geral – dores de cabeça, perda de concentração, irritabilidade, entre outros), o armazenamento incorreto de materiais também acaba resultando na poluição do solo, da água e do ar. Sendo assim, a emissão desses gases emitidos durante o processo construtivo acaba tendo impacto direto sobre o aquecimento global. Outro tipo de poluição muito comum é a sedimentação oriunda do canteiro de obras, sujando vias públicas e entupindo bueiros e galerias pluviais, ocasionando enchentes em momentos de fortes chuvas.

Geração de Resíduos

Os resíduos produzidos na construção civil podem ser classificados em três tipos: Resíduo da Construção e Demolição (RCD), Resíduo da Construção Civil (RCC) e Resíduos Sólidos da Construção Civil (RSCC). Podendo cada um deles serem gerados por diversos motivos:

  • Falta de planejamento da obra (compra em excesso de materiais que acabam sendo descartados);
  • Falta de inovação na área (alvenaria convencional continua sendo o método mais utilizado, com materiais considerados prejudiciais ao ambiente);
  • Descarte inapropriado (muitas vezes os resíduos não são recolhidos corretamente, sendo jogados em vias públicas, rios, mares e lixões, por exemplo).

Desperdício de Água

O concreto é um dos insumos mais utilizados na construção civil e sua fabricação requer uma grande quantidade de água. Para a produção de um metro cúbico, por exemplo, estima-se que são gastos em média de 160 a 200 litros. E mais: vale lembrar que a água também está presente durante todo o processo construtivo, o que acaba dificultando um controle mais severo do seu uso. Além disso, quando ocorre algum erro técnico no decorrer da obra, como é o caso de instalações incorretas e vazamentos, o desperdício desse recurso acaba aumentando significativamente.

Qual é a Importância da Gestão Ambiental na Construção Civil?

Agora que você já conhece um pouco mais sobre os impactos causados pela construção civil, fica ainda mais evidente a importância de uma gestão ambiental que direcione o andamento de todas as obras desse setor. Isso garante que os requisitos legais sejam cumpridos durante as etapas de produção. Bem como minimizando a geração de resíduos, desperdício de água e energia e a emissão de gases poluentes na atmosfera.

Em outras palavras, é através dessa gestão ambiental que todos os processos a serem implementados serão analisados e as estratégias definidas. Padronizando assim, os procedimentos para uma construção que leve em conta a preservação do meio ambiente.

Substituições de materiais poluentes, Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos (PGRCC), Plano de Controle de Erosão e Sedimentação (PCES), Plano de Controle da Qualidade do Ar (PCQAI) e as medições de ruídos e pressão sonora, são apenas algumas das prevenções que podem ser executadas nessa situação. E é exatamente por esse motivo que contar com um profissional capacitado ou uma empresa especializada no assunto faz toda a diferença. Até porque, muitas construtoras ainda são iniciantes na implementação dessa gestão focada na sustentabilidade.

Pensando nisso, caso você precise de ajuda para fazer a sua obra acontecer da maneira certa, prezando sempre pela ética e responsabilidade em todos os detalhes, entre em contato conosco! Aqui você encontra as melhores soluções para o seu negócio.

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.